Home Editora Livros Notícias Onomástica Distribuidores

Lançamentos

Antropologia
Ciências
Ciências sociais
Cinema e teatro
Comunicação
Dança
Direito
Educação
Filosofia
Geografia
História
Infantis e juvenis
Literatura

Música
Pedagogia
Política
Urbanismo

Editora Circuito

Todos
Lista de preços

 

 
A pequena escala:
Sebald e as mediações da memória

André Bueno.
.
.
.
.

Lamparina
ISBN 978 85 8316 051 9Cód. barras 9788583160519
Brochura16×23cm328p.470g2017..
R$ 38.00

Nas análises de Austerlitz e Os emigrantes, o leitor encontrará vários exemplos dessas mediações da memória, que Sebald elabora sempre de modo indireto, por ensaios e aproximações, digressões e um também elaborado sistema interno de remissões e referências. Há motivo para essa posição: Sebald não tem nunca a intenção de chocar, de apresentar a violência e o horror de modo cru e direto, provocando impacto emocional, sempre acompanhado de algum nível de bloqueio cognitivo. Não é preciso exagerar o que já é horrível, com bem sabia Sebald, leitor de Benjamin. Sem forçar a mão, é possível dizer que as elaboradas mediações da memória são um procedimento central na prosa de ficção desse escritor alemão em tudo e por tudo avesso à estetização banal da violência, às exibições juvenis de vanguardismo tardio, às falsificações mais ou menos grosseiras no tratamento de problemas difíceis, aos efeitos também falsos do melodrama com seu cortejo gasto de truques.

 
  Sumário

Um leitor brasileiro de W. G. Sebald

Mediações da memória

O ritmo da leitura

Austerlitz e os passos perdidos

Quatro exílios: Os emigrantes

O tempo congelado

A 2.000 quilômetros de lugar nenhum

As linhas de fuga do tempo

A matéria e o nada: a ilusão das belas aparências

A pequena pátria e o inferno

Referências