Home Editora Livros Notícias Onomástica Distribuidores

Lançamentos

Antropologia
Ciências
Ciências sociais
Cinema e teatro
Comunicação
Dança
Direito
Educação
Filosofia
Geografia
História
Infantis e juvenis
Literatura

Música
Pedagogia
Política
Urbanismo

Editora Circuito

Todos
Lista de preços

 

 
Triunfos e impasses:
Lina Bo Bardi, Aloisio Magalhães e o design no Brasil

Zoy Anastassakis.
.
.
.
.

Lamparina
ISBN 978 85 8316 013 7Cód. barras 9788583160137
Brochura17.2×24cm256p.520g2014..
Coed. FAPERJ
R$ 45.00

No ano do centenário da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, considerada, junto com Aloisio Magalhães, uma das figuras mais relevantes na institucionalização do design no cenário brasileiro, ganham destaque discussões sobre a temática desse campo no país. É com o intuito de analisar como se deu a instituição e a consolidação do design no Brasil, tomando por base justamente as perspectivas de Lina e Aloisio, que este livro foi idealizado e concebido pela designer e antropóloga Zoy Anastassakis.

Surgido com fortes influências de outros países, o design brasileiro começou a sofrer reformulações em sua concepção ao longo do século XX, parte de uma mudança de paradigma. Dialogando com diversos autores do universo do design, da arquitetura e da arte e também de fora dele, Triunfos e impasses problematiza, então, as relações entre design, modernidade e brasilidade, a partir das carreiras e propostas profissionais de Lina Bo Bardi e Aloisio Magalhães. Ambos têm importância marcante nesse contexto, segundo críticos contemporâneos, porque conformariam uma “outra vertente” do design brasileiro, mais comprometida com a ideia de uma identidade nacional — e, por isso mesmo, representativa de alguns sinais de divergência em meio ao campo do design no país. Orientada por uma “visão cultural mais ampla”, essa “outra vertente” buscaria assimilar a cultura popular em projetos de natureza participativa, que, ao investir na contextualização cultural, abririam caminho para um desenvolvimento autônomo. Este livro mostra, portanto, como o design começou a ganhar uma orientação mais antropológica e mais ligada à cultura nacional, adquirindo um “sabor brasileiro”, além de acompanhar também sua institucionalização enquanto campo universitário.

 
  Sumário

Apresentação: em busca de sentido para o projeto
João de Souza Leite

Prefácio
Luiz Fernando Dias Duarte

Introdução

1
O design brasileiro através do espelho

2
Tentativas de institucionalização (anos 1950)

3
Institucionalização (início dos anos 1960)

4
O design no impasse

5
Encontros e desencontros

Considerações finais: comentários provisórios sobre design e modernidade no Brasil

Referências